Refugiados no mundo atual.

Senhores da Guerra, UNI-VOS!

     Europa, Estados Unidos, seus aliados de hoje e os pretéritos, artífices de todo o IMPERIALISMO, algozes de povos de variadas etnias e nacionalidades por tanto tempo. Lucraram, e lucram, com o atraso imposto por séculos de exploração, genocídio e guerras. Como disse Pablo Neruda, “com a espada, a cruz e a fome”. Venderam, e vendem, a ferro e fogo o seu modelo cultural, subjugando e ‘modelando’ à sua semelhança o diferente. Não sem resistência, claro, mas, com força desproporcional. Arrotam liberdade, mas, sem qualquer fraternidade.

    Dividiram “as Áfricas”, massacraram, fundaram mitos, fabricaram a morte e pintaram o destino com sangue. Patrocinaram ditaduras, aqui, ali, acolá, promoveram o ódio, plantaram a discórdia, em parte com a cumplicidade nativa. Sim, “há cúmplices entre os dominados”, em muito com “a força da grana que destrói coisas belas”. No passado, como bem se dizia, os povos dominados tinham  que suportar o “fardo do homem branco”.  “Hoje”, os GRANDES calam-se, fecham os olhos, erguem muros, fecham as suas fronteiras.

   Sírios, haitianos, líbios, palestinos, curdos, colombianos, iraquianos, cubanos, indonésios, mexicanos, timorenses, eritreus, brasileiros e tantos outros. Homens, mulheres, crianças, sim, C-R-I-A-N-Ç-A-S, centenas, milhares, atirando-se a destinos incertos, a tragédias anunciadas. E como a história nos ensina, onde há crise, há lucro$. Assim como ontem, hoje o tráfico de pessoas faz a riqueza de muitos. 

A abertura do Mediterrâneo promovida há séculos precisa ser reinventada, oferecendo soluções para um problema criado pelos mesmos que hoje querem sair bem na foto, posando de heróis. Como dizia Pablo Milanez, “A HISTÒRIA ATROPELA INDIFERENTE TODO AQUELE QUE A NEGUE”.

Senhores da Guerra, UNI-VOS!

________________________________________________________________________________________________

O PATO E A GALINHA

Por que a Europa está diante da maior crise humanitária do século

Depois de ajudar a invadir e destruir países; equipar terroristas que deram origem ao EI; apoiado o engodo da Primavera Árabe; a Europa colhe o que plantou
por Mauro Santayana publicado 03/09/2015 18:14
IVOR PRICKETT/ACNUR
Refugiados Turquia

Jornal do Brasil – Embora não o admita – principalmente os países que participaram diretamente dessa sangrenta imbecilidade – a Europa de hoje, nunca antes sitiada por tantos estrangeiros, desde pelo menos os tempos da queda de Roma e das invasões bárbaras, não está colhendo mais do que plantou, ao secundar a política norte-americana de intervenção, no Oriente Médio e no Norte da África.

Não tivesse ajudado a invadir, destruir, vilipendiar, países como o Iraque, a Líbia, e a Síria; não tivesse equipado, com armas e veículos, por meio de suas agências de espionagem, os terroristas que deram origem ao Estado Islâmico, para que estes combatessem Kadafi e Bashar Al Assad, não tivesse ajudado a criar o gigantesco engodo da Primavera Árabe, prometendo paz, liberdade e prosperidade, a quem depois só se deu fome, destruição e guerra, estupros, doenças e morte, nas areias do deserto, entre as pedras das montanhas, no profundo e escuro túmulo das águas do Mediterrâneo, a Europa não estaria, agora, às voltas com a maior crise humanitária deste século, só comparável, na história recente, aos grandes deslocamentos humanos que ocorreram no fim da Segunda Guerra Mundial.

Lépidos e fagueiros, os Estados Unidos, os maiores responsáveis pela situação, sequer cogitam receber – e nisso deveriam estar sendo cobrados pelos europeus – parte das centenas de milhares de refugiados que criaram, com sua desastrada e estúpida doutrina de “guerra ao terror”, de substituir, paradoxalmente, governos estáveis por terroristas, inaugurada pelo “pequeno” Bush, depois do controvertido atentado às Torres Gêmeas.

Depois que os imigrantes forem distribuídos, e se incrustarem, em guetos, ou forem – ao menos parte deles – integrados, em longo e doloroso processo, que deverá durar décadas, aos países que os acolherem, a Europa nunca mais será a mesma.

Por enquanto, continuarão chegando à suas fronteiras, desembarcando em suas praias, invadindo seus trens, escalando suas montanhas, todas as semanas, milhares de pessoas, que, cavando buracos, e enfrentando jatos de água, cassetetes e gás lacrimogêneo, não tendo mais bagagem que o seu sangue e o seu futuro, reunidos nos corpos de seus de seus filhos, irão cobrar seu quinhão de esperança e de destino, e a sua parte da primavera, de um continente privilegiado, que para chegar aonde chegou, fartou-se de explorar as mais variadas regiões do mundo.

É cedo para dizer quais serão as consequências do Grande Êxodo. Pessoalmente, vemos toda miscigenação como bem-vinda, uma injeção de sangue novo em um continente conservador, demograficamente moribundo, e envelhecido.

Mas é difícil acreditar que uma nova Europa homogênea, solidária, universal e próspera, emergirá no futuro de tudo isso, quando os novos imigrantes chegam em momento de grande ascensão da extrema-direita e do fascismo, e neonazistas cercam e incendeiam, latindo urros hitleristas, abrigos com mulheres e crianças.

Se, no lugar de seguir os EUA, em sua política imperial em países agora devastados, como a Líbia e a Síria, ou sob disfarçadas ditaduras, como o Egito, a Europa tivesse aplicado o que gastou em armas no Norte da África e em lugares como o Afeganistão, investindo em fábricas nesses mesmos países ou em linhas de crédito que pudessem gerar empregos para os africanos antes que eles precisassem se lançar, desesperadamente, à travessia do Mediterrâneo, apostando na paz e não na guerra, o velho continente não estaria enfrentando os problemas que enfrenta agora, o mar que o banha ao sul não estaria coalhado de cadáveres, e não existiria o Estado Islâmico.

Que isso sirva de lição a uma União Europeia que insiste, por meio da OTAN e nos foros multilaterais, em continuar sendo tropa auxiliar dos EUA na guerra e na diplomacia, para que os mesmos erros que se cometeram ao sul, não se repitam ao Leste, com o estímulo a um conflito com a Rússia pela Ucrânia, que pode provocar um novo êxodo maciço em uma segunda frente migratória, que irá multiplicar os problemas, o caos e os desafios que está enfrentando agora.

As desventuras das autoridades europeias, e o caos humanitário que se instala em suas cidades, em lugares como a Estação Keleti Pu, em Budapeste, e a entrada do Eurotúnel, na França, mostram que a História não tolera equívocos, principalmente quando estes se baseiam no preconceito e na arrogância, cobrando rapidamente a fatura daqueles que os cometeram.

Galinha que acompanha pato acaba morrendo afogada.

É isso que Bruxelas e a UE precisam aprender com relação a Washington e aos EUA.

 http://www.redebrasilatual.com.br/mundo/2015/09/por-que-a-europa-esta-diante-da-maior-crise-humanitaria-do-seculo-1448.html

ARTIGOS SOBRE O TEMA:

Sete perguntas sobre os refugiados e migrantes que estão morrendo no Mediterrâneo:

https://anistia.org.br/sete-perguntas-sobre-os-refugiados-e-migrantes-que-estao-morrendo-mediterraneo/

Cinco fatores que explicam as tragédias no Mediterrâneo:

http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/04/150419_mediterraneo_cinco_razoes_fd

Como a Europa enfrenta o desafio da imigração?

http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/01/150103_qa_imigracao_lab

Análise: Apesar de crise na Europa, 95% dos refugiados estão fora do continente:

http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/08/150830_analise_imigracao_hb?ocid=socialflow_facebook

MAPA DOS REFUGIADOS NO MUNDO HOJE:

http://www.bbc.com/portuguese/especial/migrantes/mudanca.shtml

Israel, EUA, Coreia, Grécia e Ceuta: conheça cinco muros que ainda estão de pé:

http://operamundi.uol.com.br/conteudo/reportagens/38443/israel+eua+coreia+grecia+e+ceuta+conheca+cinco+muros+que+ainda+estao+de+pe.shtml

5 MUROS PARA VOCÊ CONHECER:

http://loucospelagringa.com/5-muros-para-voce-conhecer/

_______________________________________________________________________________________________

IMAGENS:

0,,16806581_303,00 2 11889589_602989383174250_4708645778418047737_n 11890945_602989393174249_4215472414639306686_n 11891211_602989386507583_2533471401836856196_n 11896128_602989396507582_7776374081553591909_n 11899833_602989379840917_6569859294452110789_n 11916106_602989376507584_6273879558328735181_n 11916106_602989376507584_6273879558328735181_n (1) 11935059_424924177703328_7259268296958289676_n 11951191_10207679038559836_161155784752848318_n 20130311-mapaRefugiadosSiria-780x600_3 150102194756_sp_migrantes_624x351_epa chappatte-immigration-lampedusa images images (1) images (2) ITALIACOST naufragos refugiados06_0 rotasmortais(2)(1)

cubanos2 cubanos 1 haitianos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s