1º ano Colégio São José – CONFHIC 2015 – Textos de aluno(a)s sobre O Sistema Eleitoral brasileiro, política e assuntos afins.

0

Um dos temas de estudo este ano diz respeito ao estudo da Constituição de 1988, especialmente no que se refere ao Sistema Eleitoral, aos Direitos Políticos e temas afins.

No último dia 10 de abril, realizamos a avaliação abaixo:

avaliaçãodehistória10deabril

Selecionei alguns textos, de diversas turmas, os quais compartilho com você.

obs. à medida que o(a)s aluno(a)s forem enviando, publicarei todos. Eis os primeiros.

_________________________________________________________________________________________________

Texto 01: Mirella Rocha – 1° C  

 Impeachment

O processo necessário para que ocorra o impeachment não se dá apenas por intervenção popular. Esta, apesar de pressionar para que o processo se conclua e o governante (seja presidente, governador ou prefeito) que não cumpriu a sua palavra ou gravemente prejudicou o país, seja retirado do cargo antes do fim do mandato (quatro anos), apenas provoca impacto, mas não tem poder para retirar ninguém do cargo. Isso é uma decisão que pode levar meses, pois é necessário ter provas suficientes para que se acuse o governo, e precisa-se investigar muito, até chegar a uma conclusão. Isso quem decide é o Congresso.

O governante que sofrer o impeachment não pode candidatar-se a cargos eletivos pelos oito anos seguintes ao seu governo, e perde todos os direitos políticos, como exemplo, o caso do Presidente Fernando Collor. Porém, esse renunciou antes que ocorresse o processo, na intenção de engavetá-lo e preservar seus direitos políticos, mas não deu certo, ele foi acusado, assumindo assim o governo, o vice-presidente.

Atualmente, há o caso da “Presidenta” Dilma Roussef, porém ainda não há nada de concreto o suficiente para acusá-la, por enquanto são apenas especulações e pressão popular, mas ainda há muito o que investigar até que se finalize o processo.

________________________________________________________________________________________________

Texto 02:  Maria Vitória – 1º C

Ao contrário do que impõe a Justiça Eleitoral, o voto para definir o futuro do nosso país encontra-se cada vez mais “sujo”.

Dentre as proibições em dias eleitorais, como a venda de bebidas alcoólicas, uso de qualquer instrumento que possa comprometer o sigilo do voto e qualquer contribuição de um candidato a uma instituição de caridade, encontra-se a compra de voto e a boca de urna.

O candidato, acompanhado do partido que faz parte, recorre, normalmente, à população mais carente, cuja procura por dinheiro é sempre bem grande. Desta forma, através de discursos ilusórios e inverossímeis, consegue persuadir o eleitor com facilidade, mesmo tratando-se de um ato criminoso.

O cidadão, que acredita no recebimento de uma recompensa é “jogado fora” junto com os santinhos deixados nas ruas, usufruídos para alcançar aquilo que se almeja e, em seguida, deixado de lado. Recebe uma pequena quantia em dinheiro e acredita estar em vantagem.

_________________________________________________________________________________________________

Anúncios

Terceirão Salesiano Dom Bosco 2015 – Avaliação sobre OS FASCISMOS – Textos de aluno(a)s.

0

No último dia 09 de abril, realizamos uma ATIVIDADE AVALIATIVA sobre OS FASCISMOS a partir da letra e do vídeo da  banda inglesa Pink Floyd. Veja abaixo! ATIVIDADE AVALIATIVA INSTRUÇÕES:

  1. A avaliação se divide em três etapas, a saber:

1ª etapa – Assistir ao vídeo Another Brick In The Wall, da banda inglesa Pink Floyd.

2ª etapa – Análise da letra da música de mesmo nome.

3ª etapa – Produção de um texto, entre 10 e 15 linhas, respondendo à questão proposta.

. ANOTHER BRICK IN THE WALL

Pink Floyd

Compositor: Roger Waters

Parte1

Dady’s flown across the ocean Leaving just a memory Snapshot in the family album Daddy what else did you leave for me? Daddy, what’d’ja leave behind for me? All in all it was just a brick in the wall All in all it was all just bricks in the wall “You! Yes, you behind the bikesheds, stand still lady! ” When we grew up and went to school There were certain teachers who would Hurt the children in any way they could (oof!) By pouring their derision Upon anything we did And exposing every weakness However carefully hidden by the kids But in the town it was well known When they got home at night, their fat and Psychopathic wives would thrash them Within inches of their lives

Parte 2

We don’t need no education We don’t need no thought control No dark sarcasm in the classroom Teachers leave them kids alone Hey! Teachers! Leave them kids alone! All in all it’s just another brick in the wall All in all you’re just another brick in the wall We don’t need no education We don’t need no thought control No dark sarcasm in the classroom Teachers leave us kids alone Hey! Teachers! Leave us kids alone! All in all it’s just another brick in the wall All in all you’re just another brick in the wall “Wrong, Guess again! If you don’t eat yer meat, you can’t have any pudding How can you have any pudding if you don’t eat yer meat? You! Yes, you behind the bikesheds, stand still laddie! ”

Parte 3

I don’t need no arms around me And I don’t need no drugs to calm me I have seen the writing on the wall Don’t think I need anything at all No! Don’t think I’ll need anything at all All in all it was all just bricks in the wall All in all you were all just bricks in the wall

OUTRO TIJOLO NA PAREDE

Parte1

O papai voou pelo oceano Deixando apenas uma memória Foto instantânea no álbum de família Papai, o que mais você deixou para mim? Papai, o que você deixou para mim? Tudo era apenas um tijolo no muro Tudo era apenas um tijolo no muro “Você! Sim, você atrás das bicicletas, parada aí, garoto! ” Quando crescemos e fomos à escola Havia certos professores que Machucariam as crianças da forma que eles pudessem (oof!) Despejando escárnio Sobre tudo o que fazíamos E os expondo todas as nossas fraquezas Mesmo que escondidas pelas crianças Mas na cidade era bem sabido Que quando eles chegavam em casa Suas esposas, gordas psicopatas, batiam neles Quase até a morte

Parte 2

Não precisamos de nenhuma educação Não precisamos de controle mental Chega de humor negro na sala de aula Professores, deixem as crianças em paz Ei! Professores! Deixem essas crianças em paz! Tudo era apenas um tijolo no muro Todos são somente tijolos na parede Não precisamos de nenhuma educação Não precisamos de controle mental Chega de humor negro na sala de aula Professores, deixem as crianças em paz Ei! Professores! Deixem essas crianças em paz! Tudo era apenas um tijolo no muro Todos são somente tijolos na parede “Errado, faça de novo! ” “Se não comer sua carne, você não ganha pudim Como vocêpode ganhar pudim se não comer sua carne? ” “Você! Sim, você atrás das bicicletas, parada aí, garota! ”

Parte 3

Eu não preciso de braços ao meu redor E eu não preciso de drogas para me acalmar Eu vi os escritos no muro Não pense que preciso de algo, absolutamente Não! Não pense que eu preciso de alguma coisa afinal Tudo era apenas um tijolo no muro Todos são somente tijolos na parede

QUESTÃO PROPOSTA: Com base nos estudos sobre Os Fascismos e nas discussões realizadas em sala, redija(m) um texto demonstrando de que forma a IDEOLOGIA FASCISTA está presente no vídeo e/ou na letra da música. https://www.youtube.com/watch?v=hx_01jpTfD4 ______________________________________________________________________________________________ Após a correção, selecionei alguns textos, os quais compartilho com você a partir daqui. obs. À medida que o(a)s aluno(a)s forem enviando, publicarei todos. ___________________________________________________________________________________

Texto 01Amanda Souza e Júlia Gargur, 3º ano B. 

Os governos fascistas eram reconhecidos pelo seu caráter autoritário, baseado na necessidade de controle e poder do estado sobre a nação. Assim, a ideologia fascista era disseminada de forma dogmática e bruta, através de inúmeros meios, midiáticos ou não.

Na letra de Roger Waters, apesar de não ter influência direta da figura fascista em sua composição, é possível observar uma analogia com o fascismo através de algumas representações simbólicas. No professor, por exemplo, reconhece-se a figura de um ditador autoritário e poderoso; consequentemente, em sua esposa, a representação de um superior (ao estado).  Essa relação provoca um ciclo vicioso de reprodução de comportamento bruto. O aluno, por sua vez, representa a nação que é comandada pelo estado e instruída a seguir uma determinada doutrina. 
É possível concluir, então, que “O tijolo no muro” é algo frágil, representando as falhas do sistema fascista. 
 
__________________________________________________________________________________

   Texto 2: Lais Firpo e Larissa Mandel – 3º ano B.

A ideologia fascista está presente na música, representando diversos fatores e  características da ditadura fascista. Podemos observar, no vídeo, os professores exercendo um papel de caráter totalitário, no qual havia  a manipulação sobre os alunos e a repressão ao enxergar que eles faziam algo contrário à ideologia fascista. Os professores agiam de forma violenta, até porque o movimento fascista prega essa ”violência”.

É possível notar a submissão dos alunos aos professores, na forma como eles marcham, num ritmo de alinhamento, o que faz referência ao respeito e ao medo que eles sentiam dos líderes do movimento. Esse enredo se comprova nos versos da música: ”Quando crescemos e fomos à escola, havia certos professores que machucariam as crianças da forma que eles pudessem. ”

Por conta desse controle autoritário, os alunos se motivaram a banir o movimento, o que faz alusão àqueles que no movimento fascista, eram contra. Vale ressaltar certos limites que a ideologia fascista fortalecia, dentre os quais o uso do livro didático único e a submissão total da sociedade quanto ao estado.

_______________________________________________________________________________________

Texto 03: Carolina Cerqueira e Camila Moura, 3ª ano A

Analisando o vídeo, podemos concluir que o regime fascista está refletido na relação “sala de aula” onde o professor é um ditador e as crianças, a nação(massa). Através do seu poder, como soberano, o professor impõe como as crianças devem pensar e agir, e uma vez contestado, usa da repressão e sarcasmo para conter o aluno. Essa educação estaria colocando os alunos em “formas”, ou seja, sua ideologia seria um reflexo do que o professor ensina, sem espaços para críticas, assim, esses virariam “meros tijolos” apenas uma parte para construir o produto final que nada mais é do que o muro. O muro é junção de todas as crianças, um símbolo que representa a força da ideologia usada sobre eles, ou seja, é preciso que haja essa alienação transformando as crianças em uma proteção do próprio “regime” dentro da sala de aula. Quando citado na música ” não precisamos de nenhuma educação”, temos um apelo: queremos nossas crianças livre para pensar.

_____________________________________________________________________________________________
  Texto 04:   Beatriz Portugal e Nataly Pinho – 3º ano A
A música e o vídeo “Another Brick in the Wall”, da banda Pink Floyd, apesar de não terem sido feitos com a intencionalidade de retratar a ideologia fascista, acabam fazendo relação em diversos aspectos com o fascismo. Um exemplo disso é a utilização de crianças como forma de manter a ideologia do regime acesa, pois essas ainda não tinham um posicionamento político, sendo mais fácil de serem compradas e incorporarem o autoritarismo, que tinha como um dos meios de difusão a educação (representada no vídeo pela instituição escolar e pelos professores). Como representado no vídeo, todo regime em um momento entra em declínio e, mesmo o fascismo sendo capitalista, o princípio Marxista da dialética também serve como explicação para tal fato. E apesar de as crianças terem sido fabricadas para serem apenas mais um tijolo na construção do muro fascista, sem opiniões ou decisões próprias, no vídeo, elas se rebelaram. Demonstrando que a força do povo pode acabar com um regime fascista, assim como ocorreu na Revolução dos Cravos, que afundou o fascismo em Portugal.
_______________________________________________________________________________________________
  Texto 05: Beatriz Mamede e Marianna Ramires – 3º ano B

 A ideologia fascista era muito direcionada à educação, onde as crianças eram o foco principal, pelo fato de serem inocentes e não terem uma ideologia definida se tornando, assim, alvos fáceis de manipulação. No video, mostra a severidade da educação, onde os professores se mostravam muito rigorosos e humilhavam seus alunos como forma de lição para os demais. Não permitindo o exercício de qualquer outra atividade que não fizesse parte do seu regime, a exemplo disso a poesia mostrada no video.

Está presente também no clipe a coisificação das crianças, pois eles queriam controlar até seus pensamentos. De forma que todas as crianças tivessem o mesmo padrão do regime. Uma outra interpretação possível, seria as crianças como “matéria prima” e o muro como forma de isolamento e que no final desse processo, depois de serem usadas seriam descartadas ” .

Raramente alguma criança percebia essa manipulação a ponto de sonhar com uma revolução, como aconteceu com um menino do video que desejava sua liberdade

________________________________________________________________________________________

Texto 06: Caio Soares e Lorenna Sampaio – 3º ano B

O clipe consegue, de fato, exemplificar alguns ideais fascistas. No momento em que o professor zomba do poema, ele vai contra a liberdade, ponto principal para a prática fascista. A impregnação dos ideais acaba criando verdadeiros “robôs”, apresentado no clipe no momento da marcha e no momento em que toda a classe repete através da ordem do professor e no trecho ” todos são somente tijolos na parede”, mostrando a participação do povo no exército, por exemplo. E em “não precisamos de controle mental”, o autor destaca esse princípio fascista, que prega muito a utilização de educação para a formação de novos fascistas, ” não precisamos de nenhuma educação “. A idealização do líder é de extrema importância no fascismo e representado no clipe pela figura do professor. Nada melhor que murros para apresentar um país fascista de origem germânica !

_______________________________________________________________________________________________

Texto 07:

Juliana Brandão 3º B

O êxito dos movimentos totalitários é explicado pela autora a partir da ignorância e indiferença da massa, que antes fora apenas um grupo numeroso sem ideais políticos e sociais e que, de repente, com o advento da propaganda apelativa, é moldada, manipulada e passa a ter aquela versão como a verdade irrefutável (como era o caso dos discursos de Hitler que afirmava que a raça branca era superior à raça negra). Essa massa desenvolve simpatia por determinada organização política que passa agora a demonstrar um interesse por essa massa (que antes era rejeitada por outras organizações políticas por ser considerada apática e estúpida), passa a dar uma atenção que nunca ninguém antes lhes tinha dado e por isso a massa passa agora a defender cegamente os interesses desse novo grupo político (nesse caso, o fascismo). Logo, a massa se volta contra o governo antes imposto, geralmente democrático, e coloca em prática suas novas regras, que incluem o uso indiscriminado da força bruta. Por isso, para o êxito dos movimentos totalitários, é preciso que a massa seja conduzida por um ideal que lhes dê uma suposta sensação de acolhimento e preocupação, para que a mesma esteja disposta a tudo para defender esses ideais totalitários.

____________________________________________________________________________________________________

Terceirão Salesiano Dom Bosco 2015 – Segunda Guerra Mundial

0

obs. Além do que já é previsto abordar neste assunto, dou ênfase especial à participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial, por meio do envio de mais de 25 mil brasileiros, entre eles, muitos baianos que integraram o contingente da FEB (Força Expedicionária Brasileira) nas lutas contra o nazi-fascismo no Teatro de Operações da Itália, entre 1944 e 1945.

A Segunda Guerra Mundial slides 

O melhor mapa da Segunda Guerra Mundial

A Canção do Expedicionário: https://www.youtube.com/watch?v=lmqoUPuNBNM&spfreload=10