Texto de Maiana – 1º C – vale a pena ler!

0

   A justiça federal inventou conceitos despóticos pra definir o que é religião, pra garantir DE VEZ a exclusão de religiões de matriz africana.
   Absurdo é o Estado numa decisão JUDICIAL legitimar o racismo dizendo que religiões de matriz africana não são religiões. Lamentável a posição deste magistrado. Com certeza  , absoluta ,as pessoas que falam e “maldizem” o Candomblé, a Umbanda, o espiritismo e muitos outros…  Não tem nenhum conhecimento sobre as mesmas, apenas vão atrás de boatos e falsas afirmações, o pior de tudo isso é que foi LEGITIMADO um absurdo desse!!!!! Esse tribunal não teria alguma coisa melhor para julgar? Esse cara é um singelo juiz para decidir uma utopia dessas , isso é cultura milenar. Esse juiz deu ao país o maior atestado de ignorância que poderia ser dado. Então, na visão dele, os índios não tem religião, o povo Inca e o Maia não tinham religião, nossos ancestrais das cavernas não tinham religião. SÓ TEM RELIGIÃO QUEM OBEDECE O PASTOR,O SACERDOTE,O PADRE E O MESTRE?? Estamos vivenciando um retrocesso!!!!!

   É incompreensível uma postura tão irracional, ainda mais vinda do poder JUDICIÁRIO que prega a “JUSTIÇA” entre os homens, o princípio básico dos seres humanos: Seu direito vai até onde o do outro começa! Na historia quando a religião juntou-se ao politica alcançamos genocídios em nome da Fé! O único intuito de um ser detestável como esse é PODER, VOTO e DINHEIRO! Preconceito significa: Juízo Pré-concebido, falta de conhecimento e ignorância.

   Que Jesus permita a esse abominável colocar a cabecinha no travesseiro e dormir, pois como MATÉRIA todos sofremos igualmente. 

Galerinha do Confhic – São José: vídeos sobre Racismo – Estereótipos – Diáspora

0

Onde Você Guarda o Seu Racismo?

 

vídeo de estereótipos

Por uma infância sem racismo

Goli Guerreiro fala sobre antropologia e culturas urbanas no programa aprovado

Atenção!

O vídeo com a primeira parte do programa, aquele que vimos em sala, não foi localizado. Segue exatamente a continuação que não assistimos.

RACISMO –  EXCELENTES COMERCIAIS